Verdades e mentiras sobre a leishmaniose canina

21 de novembro de 2010

A leishmaniose criou e ainda cria um enorme pavor em pessoas mal informadas, por isso, acredito que a informação verdadeira é a maior arma contra a doença e a favor dos milhares de animais que são sacrificados cotidianamente nos Centros de Controle de Zoonoses no Brasil.

A intenção deste artigo é proporcionar ao leitor essa informação verdadeira. Além da análise de textos acadêmicos, documentos jurídicos, textos em veículos de mídias diversas; também foi realizada uma entrevista com o veterinário Dr. Paulo Tabanez*, para esclarecimento de dúvidas.

A leishmaniose tem vários mitos, o maior deles é colocar os cães infectados como os grandes ou, muitas vezes, os únicos responsáveis pela disseminação da doença.

Todavia, o maior problema da doença são as questões socioeconômicas mal resolvidas, desafios diários que o Brasil precisa vencer. Se não houver saneamento básico e alimentação adequada para todos os brasileiros, a leishmaniose ainda terá campo de atuação, e não é justo os animais pagarem o preço.

Controlar a leishmaniose implica em acabar com a pobreza do país. Dar qualidade de vida para a população, com alimentação de qualidade para todos os brasileiros, acabando com a desnutrição; consequentemente, ninguém será um alvo fácil para a doença.

O absurdo maior é a proibição de tratamento para os animais! Entretanto, por meio da via jurídica já é possível conseguir este feito, pois várias ONGs de proteção animal têm conseguido o direito de tratar os animais por meio de ações na justiça, portanto, o tratamento não é crime, e sim direito do cidadão!

O tratamento para leishmaniose, tanto humana quanto canina, apresenta algumas similaridades. Segundo entrevista com o Veterinário Dr. Paulo Tabanez, as similaridades são as seguintes:

• Cura clínica (o humano ou o cão não apresentam sinais da doença).

• Cura epidemiológica (o humano ou o cão não são mais transmissores da doença, porém o cão é mais suscetível e, portanto, pode ter muitas recaídas).

• Não apresenta cura parasitológica (o parasita ficará para sempre tanto no organismo do homem quanto no do cão).

Introdução

A leishmaniose é uma doença infecciosa, porém, não contagiosa, causada por parasitas do gênero Leishmania. Os parasitas vivem e se multiplicam no interior das células que fazem parte do sistema de defesa do indivíduo, chamadas macrófagos. Há dois tipos de leishmaniose: leishmaniose tegumentar ou cutânea e leishmaniose visceral ou calazar. A leishmaniose tegumentar caracteriza-se por feridas na pele que se localizam com maior frequência nas partes descobertas do corpo.

Tardiamente, podem surgir feridas nas mucosas do nariz, da boca e da garganta. Essa forma de leishmaniose é conhecida como “ferida brava”; não exige o sacrifício de animais infectados pela doença. A leishmaniose visceral é uma doença sistêmica, pois acomete vários órgãos internos, principalmente o fígado, o baço e a medula óssea. Esse tipo de leishmaniose acomete essencialmente crianças de até dez anos; após esta idade, se torna menos frequente. É uma doença de evolução longa, podendo durar alguns meses ou até ultrapassar o período de um ano.

Transmissão

A leishmaniose é transmitida por insetos hematófagos (que se alimentam de sangue) conhecidos como flebótomos ou flebotomíneos. Seus nomes variam de acordo com a localidade; os mais comuns são: mosquito-palha, tatuquira, birigui, cangalinha, asa branca, asa dura e palhinha. O mosquito-palha ou asa branca é mais encontrado em lugares úmidos, escuros, onde existem muitas plantas.

É o inseto que transmite a doença de um animal para outro. É uma doença que afeta principalmente cães, mas também animais silvestres, gambá ou saruê, e urbanos como ratos, gatos e humanos (principalmente crianças com desnutrição, idosos imunossuprimidos e, atualmente, pessoas com AIDS).

Não se pega leishmaniose de cães e outros animais, apenas pela picada do inseto que estiver infectado.

O cão é apenas mais um hospedeiro da leishmaniose visceral. É também o mais estudado e injustiçado, já que mesmo que todos os cães do mundo deixassem de existir, a leishmaniose visceral continuaria a crescer, como inclusive ocorre nas cidades onde há matança indiscriminada de cães como “forma de combate à doença”.

Sintomas

Os sintomas são variáveis. O cão pode apresentar emagrecimento, perda de pelos, gânglios inchados, fraqueza, feridas, crescimento exagerado das unhas, lesão de pele ulcerada, blefarite e anemia. Também há sintomas nos órgãos internos, como crescimento do fígado e outras alterações. Entretanto, esses sintomas são comuns em outras doenças bem menos graves; assim, se seu cão apresentar esses sintomas não quer dizer que o mesmo está com leishmaniose. O diagnóstico preciso só pode ser feito por um médico veterinário, que combinará exames de sangue com exames clínicos. O teste sorológico feito pelo governo como forma de triagem não deve ser encarado como diagnóstico e, portanto, não justifica a eutanásia dos animais. O diagnóstico é complexo e necessita de maior investigação.

Prevenção

O verdadeiro transmissor da doença – o mosquito-palha – gosta de lugares com matéria orgânica, então sempre mantenha quintal e canis limpos e telados. Esse inseto é de hábito noturno, portanto coloque seus cães para dormir em lugares telados e use coleiras e/ou líquidos repelentes para ajudar na proteção.

O efeito da coleira é repelente, justamente para evitar a picada do inseto; a coleira é uma importante arma contra a doença.

Além disso, existe vacina para leishmaniose. Ela previne que 80 a 95% dos cães se infectem com leishmania pela picada do inseto.

Na verdade, a vacina contra a leishmaniose pode apresentar um efeito bloqueador de transmissão, capaz de interromper o ciclo epidemiológico, isto é, torna o animal não transmissor da doença.

A vacina tem cobertura  de mais de 90% – afirmam os especialistas – e não é possível confundir infectados com vacinados. Mas pela produção ainda reduzida, os preços são inviáveis para boa parte dos tutores de cães.

A vacina já está disponível em vários lugares do país. Hoje se tem no mercado a Leishmune, da Fort Dodge, que é aquela que vários veterinários não preconizam porque dizem que não diferenciarão os infectados dos vacinados (mentira ou desinformação), e a Leishtec, da Hertape Calier, que a propaganda é justamente alicerçada em não reações vacinais e cruzada em sorologias.

Existe uma boa parcela da classe veterinária que ainda não conhece o tratamento e a prevenção da leishmaniose, entretanto, a falta de conhecimento deles não pode impedir o público de tratar de seus cães. Procure veterinários especializados em infectologia.

No entanto, o que é preciso ter-se claro é que tanto os humanos como os animais infectados, mesmo tratados, serão portadores do parasita o restante de suas vidas e deverão ser mantidos sob rígido controle. Os cães deverão ter contínuo acompanhamento de médico veterinário, com a realização de exames laboratoriais periódicos, para verificar se o animal realmente mantém-se não infectante e saudável.

Cenário no Brasil

Tratamento

O tratamento não é forma de controle e é uma das alternativas menos preconizadas para tal. Controle é feito com coleira para prevenir o inseto, repelentes no animal e no ambiente, limpeza do ambiente para evitar material orgânico, evitar passeios nos horários de crepúsculo, telar os canis, vacinação. Tratamento é uma forma de controle individual, mesmo porque ocorrem recidivas mais frequentes no cão. Eutanásia é a última forma de controle e, de fato, a menos eficiente.  Prova disso é que a política brasileira de prevenção da doença, por meio da eutanásia de milhares de cães, não proporcionou nos últimos 50 anos nenhuma mudança no controle da doença.

Entretanto, se já houver um animal infectado em sua casa, não entre em desespero! O tratamento, a vacinação e a utilização de repelentes em cão infectado com leishmaniose não o tornam um risco para sua família ou vizinhos; como já foi dito, pode levar à cura clínica (sem sintomas da doença) e à cura epidemiológica (não transmissor da doença).

Infelizmente, no Brasil ainda temos que conviver cotidianamente com a supremacia da raça humana às outras espécies. Em 2008 foi oficializada uma portaria do Ministério da Saúde e do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento dizendo que não é crime tratar um cão contaminado por leishmaniose, o que é crime é usar remédios humanos para o tratamento. O deprimente sobre essa portaria é que esse Ministério está farto de saber que não existem, no Brasil, remédios veterinários para o tratamento da doença. Portanto, a recomendação (ordem) do Ministério da Saúde é sacrificar todos os animais contaminados.

Esse posicionamento, junto com as ações de agentes de saúde, em regiões endêmicas, vem gerando grande abandono de cães, e algumas pessoas até mesmo levam seus animais para outras cidades, para salvá-los ou mesmo para deixá-los entregues à própria sorte, o que pode disseminar ainda mais a doença.

Para realizar a eutanásia em milhares de cães, o governo utiliza argumentos sem estudos comprobatórios, dizendo que um cão infectado por leishmaniose é um perigo para a sociedade. Vamos aos fatos reais:

• O Brasil é o único país do mundo que indica ou preconiza a eutanásia, pois em outros lugares do mundo onde existe a incidência de leishmaniose as pessoas podem, ou não, eutanasiar seus animais;

• O tratamento da leishmaniose existe tanto para pessoas como para animais, entretanto, é mais fácil exterminar um animal do que tratá-lo, isso segundo a concepção dominante, que acredita que a única espécie importante é a raça humana;

• A Organização Mundial da Saúde, apesar de apoiar a insanidade cometida pelo Brasil, também recomenda tratamento para alguns casos e também já se manifestou publicamente que o sacrifício de animais doentes não é a melhor saída para o controle de zoonoses – como é o caso da Raiva, na Indonésia -; então possui um posicionamento totalmente contraditório;

• Existem estudos já comprovados que mostram que um animal infectado em tratamento pode se tornar não transmissor da doença para o inseto (cura epidemiológica);

• Existem resultados errados, chamados de falso positivo e falso negativo (ou seja, o cão saudável pode ser morto ou tratado indevidamente e o cão doente pode ficar sem tratamento). Esses exames não diferenciam a leishmaniose tegumentar da visceral (e no Brasil não é indicado a eutanásia de cães com leishmaniose tegumentar).

Os exames podem dar positivo caso o cão tenha outras doenças, como erlichiose, babesiose etc. Os melhores exames, no momento, para o diagnóstico da leishmaniose visceral em cães são a citologia de medula óssea e/ou linfonodos (chamada de “PAAF”) e a PCR de medula óssea. O exame de imunohistoquímica de pele é eficiente para acompanhar se há parasitas na pele. Ele pode ser aplicado a qualquer tecido, linfonodo, medula, fígado, baço, pele, entre outros, para aumentar a sensibilidade do teste principalmente naqueles assintomáticos ou com parasitemia baixa. O diagnóstico da leishmaniose é complexo e necessita de prova e contraprova.

• Os gastos empregados na realização da captura, exames e eutanásia poderiam ser direcionados para a formação de uma equipe capacitada para o combate ao mosquito, com campanhas direcionadas à população, como é feito com o mosquito da dengue. E lembrando mais uma vez: não é apenas o cão que pode ser infectado pela leishmania, o homem e os ratos no meio urbano também são. É mais racional e inteligente combater o mosquito ou exterminar todos os cães, os ratos e os humanos infectados pela doença como forma de controle?

• Outro fato de extrema importância foi uma Ação Civil Pública impetrada por uma organização protetora de animais em Mato Grosso do Sul, em que a mesma conseguiu autorização para o tratamento de cães com leishmaniose, portanto, já existe jurisprudência no Brasil permitindo o tratamento. O Ministério Público Federal de Mato Grosso do Sul também recomendou aos Ministérios que revoguem a portaria que não permite o tratamento, com medicação humana, de cães infectados; portanto, TRATAR CACHORRO COM LEISHMANIOSE NÃO É CRIME!

• Outro fato jurídico: muitos doutrinadores da área do direito defendem a tese que os médicos veterinários particulares sequer seriam obrigados a cumprir a determinação da portaria interministerial, porque este instrumento deve ser cumprido somente por servidores subordinados ao órgão que o expediu.

CCZ na sua casa

Você não é obrigado, de forma alguma, a entregar seu animal aos fiscais da saúde pública. Seu cão é sua responsabilidade. Nem mesmo um delegado de polícia pode ir a sua casa e exigir que você entregue seu animal. Para sua informação, um delegado ou um policial só podem entrar na sua casa com um mandado judicial ou com sua autorização. Se alguém (delegado ou fiscal da Saúde) te constranger, não deixe de anotar o nome da pessoa para formular uma ocorrência policial por abuso de autoridade e/ou constrangimento ilegal.

Cenário exterior

Na Europa, principalmente nos países do mediterrâneo, a incidência de leishmaniose é alta, entretanto, nos países europeus eles lidam com a doença de forma completamente oposta do Brasil. Eles não negam tratamento para nenhum animal infectado; inclusive lá existe até ração específica para cães com leishmaniose.

A grande diferença entre Europa e Brasil, ponto analisado em conversa com o Dr. Tabanez, é a pobreza e a desigualdade social brasileira, pois na Europa não existem grandes problemas alimentares ou de desnutrição, portanto quase não existem pessoas infectadas ou em risco de infecção.

Conclusões

Muitos avanços ocorreram na habilidade de diagnóstico da doença, entretanto, é necessário combater de forma mais efetiva o vetor (flebótomo ou mosquito-palha) e, sobretudo, trabalhar pela prevenção, incluindo-se aí o uso da coleira repelente do flebótomo, bem como a vacinação em massa dos animais (como há anos acontece com a raiva, outra zoonose gravíssima). Também antigos problemas brasileiros como desnutrição e falta de saneamento básico precisam estar no topo das prioridades governamentais.

O certo é que as autoridades sanitárias dos municípios, dos estados e do governo federal precisam agir e investir maciçamente no esclarecimento, educação e conscientização da população, dos tutores de animais e, inclusive, dos médicos humanos e veterinários, visando à prevenção da disseminação da doença.  Há a necessidade de ampliar os estudos para realmente comprovar que animais tratados e mantidos sob controle não representam risco para a população humana; também é necessário  extinguir, definitivamente, métodos primitivos e desumanos de combate à doença, como o extermínio em massa de cães.

(*Dr. Paulo Tabanez – Médico Veterinário, Especialista em Clínica e Cirurgia de Pequenos Animais, Mestre em Imunologia pela Universidade de Brasília e Diretor da Clínica Veterinária Prontovet – Brasília/DF. E-mail – pctabanez@uol.com.br)

Anúncios

95 comentários em “Verdades e mentiras sobre a leishmaniose canina

  1. Excelente artigo sobre leishmaniose. Já passou da hora de haver mudanças em nosso país. em vez de focar somente no cão e na prática do sacrifício indiscriminado .
    abs
    Vivi Vier

    • estou com um cão em tratamento de calazar e não sei mais
      o que fazer, o tratamento é bastante caro, mas quero muito que ele fique bom.estou precisando
      de uma bolsa de sangue para continuar o tratamento e as vacinas custam R$ 840,00 reais.
      Amo muito meu cachorrinho e não quero perde-lo, ja perde um com a mesma doença.
      o que eu faço?

      TACIANA 85-87795443

  2. Muito bom o post, mas vcs deveriam incluir muitas fotos do mosquito assassino p sabermos identificá-lo.

    Já perdi 2 cães com essa doença maldita: um sacrificado e outra q faleceu antes de mandá-la ao sacrifício…

  3. Obrigado , tirei muitas dúvidas que eu tinha , mas o triste é não saber ao certo o que se fazer com um animal como o meu que está ficando com o fucinho muito feio eos olhinhos e não estou achando apoio!!!!!

  4. Nossa!Fiquei mais aliviada ao ler essa mensagem.Antes de ler havia recebido um e-mail com as leis que me obrigavam a matar minha filhinha.Ainda bem que li antes de cometer esse crime.Vou tratar minha filhinha.Agora fiquei na dúvida sobre quais exames devo fazer. Fiz o RIFI e ELIZA que deu positivo mas, ela ta com uma bacteria na pele.Pode ser outra doença? Qual exame faço pra diagnosticar e nao tratá-la sem necessidade.Não tenho dinheiro mas vou fazer todo o sacrificio desde que nao ofereça risco para minha família.

  5. Olá Paula,

    Gosto bastante de levar o meu cachorro para passear na trilha do parque do Cocó; porém lá existem diversos tipos de mosquitos. Será que é perigoso andar com o meu cachorro lá? Ou é melhor evitar?
    Parabéns pelo artigo!
    Abçs

    • Olá Elisa, existe coleiras repelentes de mosquito, em especial o transmissor do calazar, a Scalibour eh a melhor. Coloque no seu cão e pode ficar mais tranquila.
      Abçs

  6. Pois é, mas os veterinários com quem conversei não garantem 100% de eficácia da coleira. Posso realmente confiar nela?

  7. depois de ler este artigo atraves de pesquisa sobre doenças em bichos de estimação que desenvolvo no projeto com crianças de ensino fundamental , fiquei horrorizada de saber como resolvem através da eutanasia caso de doenças infecto contagiosas , o problema é querer se livrar do mal causando outro mal , a condenação a morte … falta cãoscientização em muita gente !!!!

  8. Já tratei minha cadela com calazar, e posso dizer que ela esta perfeita e alegrando muito a minha casa juntamente com outros irmãos.

  9. È ISSO MESMO…MATAR É CRIME, TEM QUE TRATAR O ANIMAL. OS CÃES SÃO MEMBROS DA FAMILIA, SÃO COMO FILLHOS QUERIDOS, ALGUÉM MATARIA UM FAMILIAR UM FILHO DOENTE???~ESPERO QUE A RESPOSTA SEJA NEGATIVA…POIS É, TEM QUE TRATAR O ANIMAL…O BRASIL NÃO QUER SE TORNAR UM PAÍS DESENVOLVIDO, POIS QUE COMECE TOMANDO COMO EXEMPLO OS EUROPEUS QUE TRATAM SEUS CÃES E NÃO OS SACRIFICAM. PELO AMOR DE DEUS, MATAR, ALÉM DE DESUMANO, CRUEL, INSENSATO, CRIMINOSO É IGNORÂNCIA…TANTA DOENÇA GRAVE QUE HUMANO PASSA PARA HUMANO, ALGUMAS FATAIS…VAI SAIR SACRIFUCANDO AS PESSOAS??? ENTÃO COLOQUEM, AS AUTORIDADES A FAVOS DA EUTANÁSIA, A MÃO NA CONSCIÊNCIA E LIBEREM O REMÉDIO PARA TRATAMENTO, QUE NÃO TEM REMÉDIO PARA HUMANO OU ANIMAL, TEM REMÉDIO PARA TRATAR. MATAR É CRIME, PIOR AINDA SE HOUVER ERRO DE DIAGNÓSTICO, POIS EXISTEM DOENÇAS QUE PODEM CONFUNDIR OS EXAMES, RINCIPALMENTE SE O ANIMAL JÁ TIVER TIDO DOENÇA DO CARRAPATO, QUE A MAIORIA JÁ TEVE. SABE QUE UMA PESSOA PODE MORRER EM PENSAR EM MATAREM SEU CÃO POR PURA IGNORÂNCIA E COVARDIA EM LIBERAR O TRATAMENTO DO ANIMAL??? POIS É, O AMOR MUITAS VEZES É TÃO GRANDE QUE PODE LEVAR UMA PESSOA A INFARTAR, TER UMTROÇO SÓ DE IMAGIR ISSO…EU MESMO PODERIA INFARTAR NUMA SITUAÇÃODESSAS, NÃO SÓ DOS MEUS MAS, DE QULAUER UM DOS QUE CONHEÇO! PELO AMOR DE DEUS MATAR, SACRIFICAR, EUTANASIAR..SEJA LÁ QUE NOME DER É CRIME CONTRA A VIDA..PARA COM ISSO VAMOS TRATAR DE DESCOBRIR MEIOS PARA SALVAR VIDAS E NÃO TIRAR VIDAS!

  10. PELO AMOR DE DEUS, DESCULPEM TANTOS ERROS QUE ESCREVI NA POSTAGEM DE CIMA…É QUE FICO NERVOSA SÓ DE PENSAR NA IGNORÂNRIA DE AUTORIDADES QUE QUEREM MATAR OS ANIMAIS AO INVÈS DE TRATAR…OU MELHOR DEIXAR SEREM TRATADOS. QUE DEUS AJUDE ATODOS QUE LUTAM EM FAVOR DOS ANIMAIS…SERÁ QUE ELES AINDA NÃO ENTENDERAM QUE PRECISAMOS DEMAIS DESSES SERES PUROS, MARAVILHOSOS E MAOROSOS PERTO DE NÓS??? PELO AMOR DE DEUS, DIGAM SIM A VIDA E NÃO A EUTANÁSIA…VAMOS CUIDAR DOS NOSSOS FILHOTES, ELES MERECEM E QUE AS AUTORIDADES PAREM DE EMPATAR AS PESSOAS DE CUIDAREM DE SEUS CÃES…VAMOS TRATAR DE PESQUISAR SAÚDE,TRATAMENTO,SOLUÇÕES PELA VIDA…VÃO ESTUDAR MAIS, PROCURAR ESCLÇARECIMENTOS E CUIDADOS COM OS ERROS, AS INJUSTIÇAS, QUE QUEIMAM A IMAGEM NO EXTERIOR, NO PRIMEIRO MUNDO…OS PAÍSES DESENVOLVIDOS ESTÃO CUIDANDO BEM DE SEUS ANIMAIS.
    PARABÉNS DOUTOR PELO SEU TRABALHO, FAÇA UMA CAMPANHA AQUÍ NA BAHIA, EM SALVADOR, LAURO DE FREITAS,CAMAÇARÍ,ILHÉUS…SERIA MARAVILHOSO!
    DEUS TE ABENÇOE!
    Parabéns a moça que tratou de sua cadelinah e não a entregou a ninguém…parabéns ao amor!

  11. Na semana passada tive meu labrador diagnosticado com calazar em fase bem inicial. Ele está com a creatinina 3,4 indicando IRA. estou fazendo soroterapia e iniciei antibioticoterapia, sem resposta positiva ainda, o que está me preocupando mais é o fato do meu dog estar inapetente. Posso iniciar o tratamento para calazar junto ao tratamento da IRA ?

    • Jason, acredito que o veterinário não vai indicar começar o tratamento do seu cão por conta do problema nos rins. Um das condições para o animal receber o tratamento para leishmania, é que o funcionamento dos rins e do fígado estejam normais. Acredito que seja mais importante no momento se preocupar com o problema nos rins, que eh mais sério, verifique com o veterinario as rações especiais para animais com insuficência renal, vitaminas e tudo mais necessário para que ele tenha sobrevida. Abçs

  12. Parabéns pela entrevista, a mesma é bastante esclarecedora.
    Muito me entristece a desinformação e a ignorância por parte dos donos dos cães e dos médicos veterinários.
    estou com uma cão com suspeita de calazar, estou muito preocupada, pois não tenho garantias que o exame seja correto, tenho medo de prejudicar minha família e ao mesmo tempo não queria sacrificar o cão, pois sou a favor da vida e em abundância;
    losangela

    • caso d positivo vcnão precisa sacrifica-lo basta fazer o tratamento q vc congelaráo virus do calazar no organismo dele e assim vc prolongará a vida de seu amigo
      pois aki em casa eu tenho uma são bernardo com calazar e vou começar a dar as aplicações de Glucantin e no final das 10 ela ficará com o virus congelado no organismo
      pra sempre

  13. BOM DIA! TENHO UMA DÁLMATA A BELLA, LINDA! FOI CONSTATADA A DOENÇA À 08 MESES, VEM SENDO TRATADA À BASE DE VACINAS PRERIÓDICAS, COMPRIMIDOS DIÁRIOS, RAÇÃO REFORÇADA E MUITO AMOR! ESTÁ EM PLENA FORMA ESBANJANDO SAÚDE E EM FEVEREIRO/12 SERÁ FEITO NOVO EXAME E TEMOS CERTEZA, QUE SERÁ ZERADA ESSA MALDITA DOENÇA.SEJAM FIRMES E NÃO DESISTAM, ASSIM COMO EU E MADELINE NÃO DESISTIMOS!ABÇS. MARIA PAULA.

  14. oi, a pouco tempo atrs recolhi da rua um cachorro que foi atropelado levei ele para uma clinica veterinaria e ele fez todo tratamento ortopedico e foi descoberto tambem que ele esta com HPV solicitei o ezame para leishmania e os resultados deram positivo , mais estou em duvida sobre o diagnostico, gostaria de saber se esses outros problemas de saude que ele teve e tem como o HPV poderia ter auterado o resultado do exame por ter sido cachorro de rua acredito que ele tenha ate ouitros problemas de saude como anemia e na cirurgia ortopedica o veterinario disse que ele perdeu muito sangue, ele solicitou o exame do linfonodo para ter uma confirmaçao esse exame é realmente seguro ? se der positivo como devo proceder? nao tenho coragem de mandalo para o sacrificio.

    • Grasiele, eh importante ver o quadro do animal, se ele tiver condições de ser tratado, seria interessante tentar, enquanto não sai o resultado, veja primeiro a anemia e o HPV. Abçs

  15. ola, recentemente peguei um cacharro da rua que estava atropelado levei ao veterinario e ele receu todo tratamento ortopedico , e o veterinario descobriu que ele esta com HPV, solicitei o exame de leishmania para fazer a vacinaçao dele e o resultado do exame deu posito, gostaria de saber se o HPV pode ter influenciado no resultado do exame ou ate mesmo outra doença que ele possa ter ja que se trata de um cachorro de rua, ele nao apresenta nenhum sinal clinico, o veterinario solicitou o exame de punçao de linfonodo, esse exame é realmente seguro ? nao gostaria de ter de sacrificar o animal pois ja mim apeguei muito a ele.

    • Grasiele, eh importante ver o quadro do animal, se ele tiver condições de ser tratado, seria interessante tentar, enquanto não sai o resultado, veja primeiro a anemia e o HPV. Abçs

  16. A cadela da minha prima foi,digamos,”curada” de calazar,mas tempo depois faleceu com o mau funcionamento dos rins. O caso da morte teve algo a ver com calazar e é possivel um cachorro se curar desta doença?

  17. Tbm ñ sabia dessa informação é muito bom saber disso.realmente é uma injustiça o q ta acontecendo.recentemente a carrocinha levou uma cachorrinha aki da minha rua,chorei tanto nesse dia.agora sabemos o direito dos nossos animais e vamos lutar por eles.

  18. Vcs são um abrigo tb? Estou com um cachorro que apareceu na porta da minha casa e o levamos ao vet e foi diagnosticado com leishmania. Não podemos ficar com ele, devido a outros animais que temos em casa e não o aceitariam. Ele está numa clínica recebendo tratamento. Vcs o receberiam, nós assumindo total responsabilidade sobre as despesas de tratamento e outras? Se não, sabem de algum abrigo que possa recebê-lo? Obrigada!

  19. meu marido ganhou um filhote de perdigueiro, o baruq, de um amigo ”veterinario” que se faz de desinformado criador de cães; junto com o baruq ele insistiu que ficassemos com a juju, uma chow chow mestiça de 1 ano que tinha sido abandonada pelos antigos donos (por motivos que nunca soube ao certo), pois um faria companhia p/ o outro durante o dia. Ficamos com os dois. Os sintomas da leishmania na juju já eram nítidos, mas não reconhecia pois era leiga no assunto na época. Fizemos exame meses depois, e deu positivo, talvez o calazar tenha sido o motivo do abandono dos antigos donos. Optei pelo tratamento e não me arrependi, ela está tomando 2 doses de alopurinol por dia e exames de rotina de 3 em 3 meses,e não tira a coleira scalibor. Os sintomas da minha filha aos poucos desapareceram, as unhas pararam de crescer, o nariz está ficando preto e melhorou o aspecto dos pêlos. Ainda não fiz exame no baruq e apesar de termos cuidado e ele não apresentar sintoma algum da doença, estou com muito medo de fazer, mesmo sabendo que é preciso.Sou de Teresina-PI, mas estamos de mudança pra Fortaleza e preciso de um telefone de algum veterinário de confiança para continuar o tratamento. Se vc puder ajudar, ficaria grata. Muito obrigada

  20. Eu tenho um labrador que começou a apresentar todos os sintomas da doença. Fiz o exame da medula nele e o resultado foi o que causou espanto na veterinaria responsável por ele…foi dado alopurinol para ele mas agora ele começou a vomitar e foi suspenso o medicamento…é possível que o exame da medula tem dado falso positivo? Ele esta piorando a cada dia…existe algum outro medicamento que pode ser dado para ele? Encontrei um site que diz entregar aquele medicamento vendido apenas no exterior da Vibratec…ele pode ser dado?
    Agradeco qualquer ajuda e o mais intrigante foi o resultado da medula

    • Giavanna, antes de usar qq medicamento, ele precisa de exames para saber como ele estah e ser receitado um tratamento adequado para o estado dele. Procure um veterinário experiente no tratamento da doença o qnto antes.

  21. Oi eu fiquei muito alegre ao saber que o cachorro do meu irmao que 100% pastor alemao puro sangue e muito lindo nao tera que ser sacrificado se o resultado for positivo para essa maldita calazar! Ele e um amor e eu acho de uma frieza extrema falar em sacrificar um ente querido e inaceitavel ao meu ver! Eu nunca possui um animal ,mas convivi com o meu irmao e me apaixonei pelo seu cao !Estamos aguardadndo o resultado e estou tao triste nao posso nem olhar nos olhinhos dele ,tao inocentes !!!Nao posso permiti que nos separem !!!Caso der positivo posso contar com a ajuda de vcs para como proceder e conselhos? Muito obrigada pela luz que e essa materia e testimunhos de todos!

  22. TENHO UM CACHORRINHO QUE É O MEU MIMO, ELE É DA RAÇA PINCHE, FIZ UM EXAME E FOI DIAGONSTICADO QUE O MESMO LSE ENCONTRA ACOMETIDO COM A CONHECIDA DOENÇA DE CALAZAR. O QUE DEVO FAZER PARA CURAR O MESMO. QUE MEDICAMENTO DEVO DAR AO MESMO. QUE CUIDADOS PRECISO TOMAR. PRECISO DE AJUDA.

    • Manoel, vc precisa de orientação de um veterinário, não medique seu animal sem orientação. Eh importante procurar um profissional o qnto antes.

  23. UPACFORTALEZA, LI SUA MENSAGEM E ANTECIPADAMENTE AGRADECO VC OU VCS, JÁ TENHO O VETERINÁRIO DO MEU CÃOZINHO, ENTRETANTO, CADA QUAL DAR UMA OPNIÃO DIFERENTE, GOSTARIA APENAS SE A ENFERMIDADE DE LEISHMANIOSE TEM CURA, QUAL REMÉDIO E AONDE ENCONTRO O TAL REMÉDIO. AJUDE O MEU AMIGUINHO QUE A NATUREZA ATRAVÉS DO NOSSO CRIADOR (DEUS) VAI TE AGRADECER.

    • Manoel, existem vários protocolos de tratamento, o estado clinico do seu cão eh que vai dizer o que eh melhor pra ele, por isso q apenas um vet pode te orientar com relação a medicação, etc. Se quiser compartilhar conosco por email o protocolo do seu vet, estamos à disposição: contato@upac.org.br

  24. Eu tenho um Boxer de 1 ano e meio, 1º teve gastroenterite canina em seguida sofreu um acidente quebrou a perna fez cirurgia e depois veio uma cinomose e ainda esta em recuperação das sequelas, pois ficou 5 meses sem andar. Agora levei para o veterinário, pois apareceu uma ceratite canina e o hemograma apresentou as plaquetas baixíssima, então ele suspeitou de Calazar pediu o exame ELISA, o 1º deu Negativo. Pediu para repetir o Elisa por causa do hemograma o 2º exame deu positivo, diz o veterinário que existe o falso Negativo no exame ELISA, mas não o falso Positivo e ele atestou com CALAZAR. Isso é verdade? Por favor me ajudem o que devo fazer, pois não penso em sacrificar.

    • Olá, vc precisa fazer outros exames para comprovar a doença, só o ELISA não é suficiente, é preciso fazer o combinado ELISE + RIFI, pode ser feita a punção da medula tb. Seu cão eh um guerreiro, outras infecções podem apresentar baixa de plaquetas. Existe sim falsos positivos.

  25. Por favor me ajude, minha cachorrinha fez o exame (no órgão público) e deu positivo, to desesperada, não quero sacrificá-la mas minha familia fica com medo, quem devo procurar pra evitar esse sacrificio. Obrigada

  26. Cara desconhecida amiga, Inès Maria, não sou veterinário, sou advogado, a profissão é bem diferente não é mesmo, porém, me encontro na mesma situação que a sua tenho tb um caozinho que é o meu mimo. também fui surpeendido com a mesma notícia sua e por conta disso passei a estudar o caso. Descobri por exemplo que essa doença conhecida popularmente por calazar não pega por contato com o animal, tranquilize a sua família e você também. ela só é transmissível através de um mosquito conhecido como mosquito palha, não entre em pânico. detetize o seu ambiente ( sua casa)e o ambiente do seu amiguinho. Não propague a doença para ninguém paro o povo não entrar em pânico também e os matores de animais não ir na sua casa para sacrificar o animal, e, se por ventura for não o entregue diga que só o entrega com uma ordem judicial e esconda o mesmo em outro lugar. O calazar tem cura o governo do nosso País é que não tem interesse, pois ele governo não se preocupa nem com a saúde do povo imagine vc, se ele governo vai se preocupar com os animais. Por incrível que pareça o governo brasileiro proíbe o tratamento do animal pois fica muito cara para o governo e o dinheiro tem que sobrar para os investimentos nos mensalões da vida. Sedria bem mais fácil para o governo combater ou controlar o mosquito palha da mesma forma que faz com o famoso e conhecido mosquito da dengue. Não se assuste vc vai curar o seu câozinho. Tou tratando o meu e posso te ajudar, só não através desta rede, se puderes deixar o teu E-mail ou teu telefone te dou uma dica. Do amigo desconhecido ROBERTO.

    • Bom dia roberto! Hoje sou eu que passo pelo mesmo problema de vocês e dos seus cãezinhos. Espero que possa ver essa mensagem e me contar como está indo o tratamento, sua experiência e indicações, pois mesmo sabendo de tudo isso fico receiosa em relaçao de tirarem minha cadelinha de mim. Meu email é micheline_m.m@hotmail.com Grata.

  27. Gostaria muito de saber o preço da vacina contra calazar, pois tenho uma yorkshire e tenho medo de uma possível infecção!

  28. Queria muito saber quanto custa em média um tratamento para um cachorro infectado. Pois minha cachorrinha está com suspeita. Fizemos o reteste e estou aguardando a confirmação. Jamais vou sacrificar ela, ela é minha melhor amiga. Se vocês puderem por favor responder as minhas dúvidas agradeço. Abraços!!!

  29. Descobrí recentemente que meu cachorro está com calazar.Na mesma hora que recebí a noticia a primeira coisa que cosenguí falar foi “Dr. existe cura?”,e ele me disse que sim.Quero perguntar o seguinte,tratando meu cochorro ele vai viver tanto quanto ele iria viver e com a mesma qualidade quanto se não tivesse pegado a doença?Obrigado à quem venha a me responder.

    • Olá Francisco,

      Realmente existe cura, cuidando devidamente com os medicamentos que o veterinário venha a receitar, o seu cachorrinho viverá normalmente. O importante é sempre ir ao veterinário e tomar devidamente os medicamentos.

      Aguardamos notícias do seu peludo! 🙂

  30. meu cachorro apresentou uma alergia que ja dura 6 dias ,levei ao veterinario que receitou antialergico injetavel e oral mas a melhora é muito pouco,ele se rasgou a cara toda coçando ,os exames a proteina deu 10 o medico falou que ja era uma suspeita de calazar,por favor me oriente o que fazer?

    • Olá Valéria,

      Se o veterinário está suspeitando de calazar, o ideal seria fazer um exame que detectasse se ele já está com a doença. Daí, se detectado, tem tratamento.
      Verifica com o veterinário que está acompanhando o seu peludinho… e, o quanto mais rápido for descoberto, mais chances ele tem de se curar!

      Aguardamos notícias 🙂

  31. Oi estou passando por esse problema meu cachorro que tanto amo esta com supesta primeiro ele tava fraco levei ele , fizeram o teste no soro deu negativo o veterinario disse que era so anemia ele melhorou com os remedios dias depois ele apresentou as unhas maiores e aqui em teresina tem grande surtos de calazar , levei ele de novo fez de novo e deu positivo ai eles coletaram o sague dele pra fazer o mais detalhado .e uma tortura ele esta supe bemmesmo que der positivo nao vou entregar meu cachorrro vou fazer de tudo pra ele se curar

    • Olá Karine,

      Que bom qeu você está do lado do seu animalzinho e não vai abandoná-lo. Faça de tudo para que ele fique bem e fique bom logo! Se caso ele estiver contaminado, exitem tratamentos e ele poderá ficar super bem mas, o importante você já está fazendo: cuidando do seu peludinho!

      Aguardamos mais notícias, esperamos que ele fique bem!

  32. Boa tarde ‘ amei a matéria !!! Bom acabei de descubrir que minha cachorrinha tém leishmaniose deu positivo .. estou muito triste e sem saber muito oque fazer .. preciso de ajuda ‘ li comentarios e tudo .. mas alguem pode me ajudar ???? por favor !!! Agradeço desde de ja !!!

    • Olá Andreza,

      O ideal é levá-la para um veterinário para que ele possa começar o tratamento. Daí, ela ficará com a doença controlada e viverá! 🙂

  33. Obrigado pela atenção ‘ levei para a veterinaria que costumo ir ela fez os exames novamente e disse que pode ser a doença de carrapato e nao a Leish.. e entao pediu exames mais detalhados para avaliar … mais estou cuidando ainda mais dela ‘ assim que eu tiver noticiias postarei aqiii ‘ abraços e mt obrigado !!!!

  34. Estou com meu meu cachorro muito fraquinho nem levanta, nem comer nada nunca esteve assim desta forma tão parado sem sair do lugar, o centro de zoonoses informou ter passado em minha residencia e tudo mentira q fiquei chateada demais com esse órgão, pq aparentemente parece calazar mas é necessário exame p confirmar ou não a doença existe alguma clínica q realize este exame a domicilio, agradeço muito a atenção

  35. Olá, me chamo Mylena e meu cachorro fez os dois exames promovidos pelo Governo para detecção do Calazar e deu positivo, mas eu ainda sim estou cm um pé atrás do resultado, até pq ele não apresenta nenhum sintoma ou alteração. Gostaria então q vocês mês indicassem veterinários aqui em Fortaleza experientes nesse assunto pra q eu possa entrar em contato!

  36. no começo de julho acordei como pessoal do zoonoses na minha porta ,vieram buscar minha cachorrinha pois eles tinhão vindo aqui uns meses atras e coletaram o sangue dela,e infelizmente deu positivo ,entrei em panico pois vi meu marido entregar minha fofinha(o nome dela é fofa) pra o homem colocar na carrocinha ,chorei muito fiquei em estado de choque ,minha vizinha que é apaixonada por animais chegou e vendo meu desespero pediu ao meu esposo que fizesse o exame particular ,só que deu positivo ,mas DEUS através da veterinária me deu uma luz e disse que o calazar tinha tratamento ,no inicio meu marido ficou com medo da gente pegar a doença ,mas a veterinária nus esclareceu tudo e foi um alivio ouvir da boca de uma especialista que minha fofinha não precisava cer sacrificada ,ja comecei o tratamento dela e espero que de tudo certo,hoje eles vieram de novo ,para pega-la ,e quando eu falei que tinha começado o tratamento eles ficarão com muita raiva ,dizendo que iam mandar o veterinário do governo aqui pra falar conosco,estou com medo de-lis levarem minha fofinha a força ,disseram ao meu marido que a veterinária só queria ganhar o nosso dinheiro e que minha fofinha estava condenada e que mesmo eu fazendo esse tratamento ela ia morrer ,o que eu faço ,sera que eu e veterinária estamos amparadas pela lei? sera que eles podem fechar a clinica dela só por ela esta fazendo esse tratamento?por favor me ajudem não quero prejudicar ninguém , obrigado por esclarecer minhas duvidas adorei esse artigo ,que DEUS continue abençoando a todos,um abraço de quem também é apaixonada por animais,(minha cachorrinha não é de raça é uma vira lata mais eu a amo muito,pois o amor não ver raça,cor ou condições financeiras ,amor é simplesmente AMOR)

    • Olá Nalva,

      Sim, a leishmaniose canina tem tratamento e o cão pode viver tranquilamente se tratado devidamente. A prefeitura não pode tirá-lo de vocês…Procure ajuda da justiça, alguma sugestão de um advogado caso, alguém faça uma ação judicial contra você. 🙂

  37. muito bom ler esse artigo !!!extremamente informativo!!!! tenho 3 cadelas lindas e veio um fiscal na minha casa hj d manhã e fez um exame rápido , e em uma delas , a mais bonita e forte de todas ,segundo ele tem calazar !!!!! to desesperado ,mas ele falou q na semana seguinte vem um pessoal da prefeitura ver ela !!!! to com muito receio disso tudo ! gostaria muito de alguma ajuda !!!!

    • Wellington,

      Se constatado o vírus é de extrema importância levar a cadelinha a um veterinário para que ele possa passar o devido tratamento. Essa doença tem controle e não é necessário fazer a eutanásia no animal como a prefeitura recomenda. 🙂

  38. AMEI ARTIGO, AS CONVERSAS A RESPEITO DA ENFERMIDADE. ESTOU NA MESMA SITUAÇÃO. MINHA CADELINHA FEZ O EXAME E CONSTATOU SER CALAZAR. FIZ AQUELE EXAME EM BELO HORIZONTE ATRAVÉS DA CLÍNICA. ESTOU FAZENDO O TRATAMENTO. TODOS OS SINTOMAS DESAPARECERAM APESAR DE SABER QUE AINDA NÃO TEM CURA.
    ESTE ARTIGO DEIXOU-ME MAIS SEGURA E CONFIANTE. UPACFORTALEZA OBRIGADA POR TUDO.

  39. olá! Tenho uma yorkshire mini de 4 meses. Moro em apartamento e então não é umido nem tem plantaçoes. Mesmo sendo um cão bem peludo como os yprks,os mosquitos conseguem pica-los? desde já agradeço!

    • Olá Karen,

      Sim, é possível que o mosquito pique o seu cachorrinho. Para mantê-lo longe desses, é necessário passar algum repelente. Também levá-lo ao veterinário para saber qual repelente usar. Isso faz toda a diferença 😉

  40. Meu cachorro tem 10 meses ganhei ele com 4 meses hj veio um pessoal e colhera o sangue dele e deu 8,25 não entendo e eles me disseram q era suspeita de calazar mais meu cachorro não tem nenhum sintoma disseram q em 15d em fazer o reteste e se desse de novo iriam leva-lo para sacrificar estou desesperada desde então meu filho de 9 anos não para de chorar pois é a companhia dele .o q faço?

    • Olá Ivana,

      Leve-o a um veterinário de confiança e faça testes para detectar se realmente ele está com calazar. Se sim, existem tratamentos. Sem a necessidade de sacrificá-lo.

  41. Gostei muito do artigo vcs, encontrei um certo conforto, pois o mesmo confirma o q o veterinário me falou, tenho um cãozinho(Luck) q começou a adoecer a uns 10 dias, com dores nas patas traseiras e febre, levei ao veterinário e com análise clínica ele suspeitou de calazar, e nos indicou a fazer o exame, o difícil é a demora por esse exame, pois estou muito nervosa com isso, e triste pq o médico falou q existe tratamento, porém, é caro, não sei o que fazer, posso estar sofrendo por antecipação, mais estou muito preocupada, pois acho q não tenho como fazer o tratamento, gostaria de saber se existe algum orgão q ajude com o tratamento, onde eu possa recorrer e obter essa ajuda,gostaria de pelo menos tentar, isso tem me consumido de tristeza.
    Agradeço desde ja pela atenção!!
    Eu e o Luck

    • Olá Viviane. Não precisa sofrer por antecedência 🙂
      Espere o resultado do exame. O tratamento não é tão caro. Entre em contato com a gente pelo nosso facebook (ongupac) e indicaremos um veterinário.

  42. Favor, me ajudem!
    A Vacina do meu cachorro ficou vencida! Dei uma dose após 2 meses e 20 dias do vencimento! Preciso dar novamente as outras doses após 21 dias? Ou não é necessário? Este é o 3º ano seguido que vacino meu cachorro. Ele sempre fica muito mal após a vacinação.
    No aguardo.

    • Oi Camila, sugerimos vc consultar um veterinário para saber porque seu cãozinho passa mal após a vacina. Somente depois dessa consulta, o veterinário pode lhe dizer se continua ou não com as demais doses.

  43. Minha cadelinha foi diagnosticada com calazar , após fazer um hemograma e um exame de pele , porém não apresenta nenhum sintoma a não ser queda de pêlo e pequenas feridas na orelha, sintomas esses que não vi em nenhum lugar em que li a respeito da doença. O que devo fazer?A vet. que consultei já afastou qualquer possibilidade de tratamento e já indicou eutanásia, porém a cadela está perfeitamente saudável, comendo bem, brincando, com fezes e urina normais, não parecendo em nenhum momento doente. O que devo fazer?

    • Barbara, a minha Poodle de com 8 meses foi diagnosticada com calazar tb. Na hora fiquei sem chão…isso foi ano passado de lá para cá coloquei as mão na massa lendo tudo que era artigo para salvar minha menina. Ela ficou cheia de ferida de uma hora p outra, defecando sangue e vomitando, pois bem levei a um Veterinário q faz tratamento de cães com a doença, ela está fazendo o tratamento com a vacina (dupla) leish-tec, custa 200,00. Também comprei um medicamento que estão usando na Europa chamado Milteforan, esse pedi logo pois passa um mês para chegar. Mas vc pode procurar na net alguém q venda no Brasil. Pois bem minha menina está linda se recuperou e continua o tratamento com a vacina de 6 em 6 meses.

    • Procure um veterinário que faça o tratamento. Se os órgãos estiverem bem ela reage bem ao tratamento. A minha vai fazer dois aninhos e está fazendo o tratamento e está linda.

  44. meu nome é ane, tenho um cao pastor com leish tegumentar, ele hoje esta com 2 anos, desde os 6 meses corro atras de tratamento, ficou magro, apatico, pelo sem vida, feridas no corpo, orelha, feridas nas almofadas das patas, e por ultimo a ferida no focinho, hoje ele tem somente a feridas no focinho pois sempre machuca, por ser imperativo e creio eu que por ser dificil a cicatrizacao. uso um protocolo de tratamento atraves de um fitoterapico,Queria saber se alguem daqui tem caes na situacao do meu, e que cicatrizou a ferida do focinho pois eu estou na luta esse tempo todo sem sucesso. Me ajudem por favor,

  45. Tenho uma cadela mestica que fez o exame do governo e deu suspeito. Eu perguntei ao rapaz se podia ser devido aos carrapatos, ele falou que precisava fazer a contra prova. Que devo fazer? Minha cadela tem 9 anos e o bem querer de minha mae que tem 89 anos com problema de coracao. me de uma orientacao.

  46. Oie, gente tenho um cachorrinho que é o xodo da casa, tem apenas 1ano e 4 meses estava se coçando no rosto e nos olhos,o fucinho fica esfregando, levei ao veterinário e ele pediu exame de sangue e de calazar. O de sangue recebi hoje deu um aumento de 9,2 na proteína, o veterinário ta suspeitando de calazar, esperando o resultado. Estou tao aflita ate esse resultado sair.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s